sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Eu tenho um Totem!

Bótima Noite Pessoas!

Tempão que não venho aqui! Quase duas semanas sem um post... Embora quatro letras comecem a me dominar [sono], não sairei sem saciar esta imensa vontade de escrever!

Pois bem, ainda não voltei definitivamente ao meu mundinho da escrita, só vim aqui tirar a poeira e matar um pouquinho da saudade...

Muitas coisas aconteceram nesses dias em que estive distante daqui. Assisti Sherlock Holmes, presenciei um assalto [de verdade ¬¬'], meus 5 netinhos nasceram [filhotes da Olga =^;^=], o fumo curso de verão começou, conheci gente nova... Enfim, eu realmente estive distante, mas nunca ausente por completo, sempre que podia, estava na blogosfera lendo os posts alheios. =D

Então... Embora muitas coisas tenham acontecido, hoje não vim postar sobre novidades ou contar sobre meu dia, vim escrever sobre algo que me chamou atenção depois de um sonho...

... E que sonho!

Ao acordar*, a única palavra que eu tinha em mente era "Totem". Acho que a primeira vez em que a ouvi foi assistindo ao filme "A Origem" [com o gato do Di Caprio! \õ/]. O real significado da palavra, segundo a Wikipédia, a trata como um objeto cutuado por uma sociedade organizada em torno de um símbolo, como se fosse uma antiga religião. Bem... No filme, o totem é um objeto que "separa" o sonho da realidade. Vou explicar...


Precisei de um segundo olhar no filme para arrancar algumas ideias erradas que haviam surgido "pós-assistimento". Na verdade, precisei até ler sobre Cobb [personagem do Di Caprio] para entender um pouco do uso do totem.

Temos, praticamente, 1 ano e meio após a estreia do filme, logo, não serei a spoiler "dumal" ao contar o que achei e o que entendi.

A Origem trata de sonhos. Sonhos dentro de sonhos. Um dos [se não "o"] filmes mais complexos que já parei para assistir. Cobb tinha o poder [assim como outros personagens] de ingressar nos sonhos dos outros...
_____________________________________________________
Pausa rápida para o rascunho:
Tem gente que não é o Cobb mas vive ingressando nos sonhos *-*
_____________________________________________________

... Porém, cada sonho mais parecia uma realidade. Ou seja, cerveja! Todo mundo se perdia!

Para distinguir entre estar em um sonho ou em uma realidade, Cobb usava seu totem. O objeto em questão era um pequeno pião, se ele girasse e o pião parasse, pronto, estava tudo certo, essa era a realidade. Caso contrário, aconteciam umas lutinhas bestas, uns tiros aqui, outros aculá, até que ele chegasse na tal realidade.


Claro, falando assim até parece fácil assistir o filme [estou até pensando em assistir novamente para ver se mudo mais alguma ideia a seu respeito...], mas ele consegue ser um tanto complexo, nos confundindo sobre o que é sonho e realidade... O fato é: chega o fim do filme e não distinguimos!

Prosseguindo... Cobb também tinha sonhos... Sonho de ver os filhos crescerem, de viver em paz com sua família, enfim.. Sonhos que caminham junto a qualquer mortal comum... Este era o fato que nos confundia! Afinal, a realidade era realmente real [pleonasmo mode on!] ou fazíamos parte de um dos sonhos do Cobb? 

O que eu [acho que] entendi:
A realidade era, na verdade, a expressão dos sonhos do Cobb. Para ele, aquela era a realidade, ou seja, o uso do totem dizia se ele estava, ou não, no sonho que ele tanto queria que fosse real.

Depois de quase contar o filme inteiro, venho justificar o título do post... Eu tenho um totem!

Não o totem da wikipédia, nem o do Cobb... Eu tenho o meu! 

Diferente dos demais, meu totem não sabe diferenciar entre sonhos reais e realidades sonhadas, pra ele tudo faz parte de uma coisa só. Tudo é sonho. Tudo é real.

Meu totem me faz lembrar que fui cativada. Quando sonho, sinto-me em uma realidade indescritível, quando é real, sinto como se andasse nas nuvens. É sonho. É real.

É complexo explicar... Talvez tão complexo quanto o filme, mas é algo que tem que ser além de forte para entender...

... É coisa de pele.

2 Comentários ●๋•:

Eliakim - www.geoabrangencia.blogspot.com disse...

Nosso totem !
É coisa de pele, de uma complexidade inigualável ... mas nobremente capaz de despertar a melhor felicidade possivel =]

☆ Debby Nunes ☆ disse...

Uma felicidade que atrai...

Postar um comentário

Agradeço a sua atenção!