sábado, 5 de junho de 2010

Tempo que foge

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora...

Sinto-me como uma criança que ganha uma bacia de jabuticabas... As primeiras, comemos displicentes, mas percebendo que faltam poucas, roemos até o caroço...



não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero administrar melindres de pessoas que, apesar da idade cronológica, são imaturas.
não tenho tempo para projetos megalomaníacos.
Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões de "confrontação" onde tiramos "fatos a limpo".

Como o Mário Andrade afirmou: "As pessoas não debatem conteúdos, debatem rótulos". Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos...

Sem muitas "jabuticabas na bacia", quero viver ao lado de gente humana, que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita para a "ultima hora", não foge da sua mortalidade, defende a dignidade dos marginalizados e deseja andar humildemente com Deus...

Caminhar perto dessas pessoas NUNCA será perda de tempo...

2 Comentários ●๋•:

Geoabrangência disse...

O tempo foge mesmo
voraz e ainda quase que imperceptível
só tenho a dizer uma coisa
gostaria de saber o gosto de uma jabuticaba gâ/

●๋• Debby ●๋• disse...

Kim é muito paia véééy ¬¬

haushauUHAUSHAUuhaushauhsa

Postar um comentário

Agradeço a sua atenção!